Aresa Shipyard apresenta a sua gama de embarcações militares e offshore na OPV África 2013

(30/08/2013, Lagos). Aresa Shipyard, patrocinador platina da Offshore Patrol Vessels Africa 2013 (OPV Africa), chamou a atenção dos cerca de 300 delegados de 41 países que participaran desta conferência realizada nos dias 27, 28 e 29 de Agosto em Lagos, Nigéria, em que a empresa apresentou dois de seus barcos: ARESA 1200 Stealth RIB e ARESA 1200 Interceptor RIB

O evento, organizado pela Armada Nigeriana, partia tendo por objectivo elaborar estratégias de colaboração e cooperação para travar as actividades criminais nos domínios marítimos da costa africana.

Pol Montolio, chefe dos engenheiros navais do Aresa Shipyard, apresentou as vantagens do uso de materiais de fibra de vidro para navios-patrulha offshore, dado que estes aumentam o ciclo de vida das embarcações, e se traduzem em custos de manutenção inferiores aos das embarcações compostas na sua maior parte por alumínio e ferro, além de oferecer baixas emissões magnéticas, térmicas e acústicas.

Por outro lado, Tomeu Rotger, conselheiro do grupo para aspectos militares e de blindagem, mostrou as soluções que, graças ao investimento em I+D, a Aresa integra nas embarcações como concepções e materiais stealth, sistemas de protecção térmica, revestimento de camuflagem ou altos sistemas de blindagem.

Além disso, Aresa Shipyard também adquire elementos dos mais reputados fabricantes, com a ideia de oferecer ao cliente contratos chaves-na-mão, com serviços de valor acrescentado como inclusão de centros de serviço nos destinos finais e cursos de formação.

Entre as resoluções da conferência apontou-se a necessidade do estabelecimento de um quadro para o melhoramento do intercâmbio entre os estados africanos, com o estabelecimento de centros de luta contra a pirataria marítima.

Outro aspecto em que os assistentes concordaram foi a necessidade de fomentarem a capacidade das patrulhas multinacionais através da criação das forças marítimas sub-regionais, do quadro marítimo sub-regional e do intercâmbio da infra-estrutura existente para melhorar a segurança marítima em geral.